Ao menos 51 pessoas morreram por falta de oxigênio no Amazonas

Ao todo, 23 morreram asfixiados no interior e 28 em Manaus. O número, no entanto, pode ser maior, porque apenas 5 das 11 unidades de saúde da capital responderam aos questionamentos do MPF

Sepultamento de caixão lacrado no Cemitério Tarumã, em Manaus (AM) (Foto Valdo Leão/Semcom)

Levantamento feito por Guilherme Amado, na revista Época, junto ao Ministério Público Estadual e Federal revela que pelo menos 51 pessoas morreram asfixiadas, por falta de oxigênio no Amazonas, até a noite desta terça-feira (18).

Segundo o MPF, somente na capital do estado, Manaus, foram confirmados 28 mortes por asfixia. O número foi obtido pelos procuradores junto aos hospitais da cidade.

No interior, segundo o MPE, outras 23 pessoas teriam morrido pela mesma causa. O caso mais recente ocorreu em Coari, onde sete pessoas morreram nesta segunda-feira (18).

O número, no entanto, deve ser maior, porque apenas cinco dos 11 ofícios foram respondidos pelas unidades de saúde, até a noite desta terça-feira.

Maior Pronto-Socorro da capital, o Hospital 28 de Agosto foi um dos que não respondeu ao pedido do MPF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *