Fortunas dos 20 mais ricos cresceram em 24% na pandemia

coronavírus enxugou as economias de milhões de famílias, mas não as dos mais ricos. O ano terminou com lucros para a imensa maioria deles, já que apenas 3 das 20 pessoas mais ricas de planeta viram sua fortuna diminuir neste ano. No seu conjunto, esse grupo de bilionários chegou ao final de 2020 com um patrimônio conjunto que soma 1,77 trilhão de dólares (8,83 trilhões de reais, aproximadamente o valor do PIB brasileiro). A cifra é 24% superior à de um ano atrás, segundo o índice Bloomberg. O espanhol Amancio Ortega (Inditex) perdeu 7,3 bilhões de dólares no ano e deixou o top 10, onde o francês Bernard Arnault (LVMH) é agora a única exceção em uma lista dominada por norte-americanos.

Como já acontecesse em 2019, Jeff Bezos continua um ano mais à frente da lista dos maiores bilionários do mundo, empurrado pelos espetaculares resultados da Amazon no ano da pandemia. Sua empresa foi uma das mais beneficiadas pelo confinamento, pois o uso do comércio digital disparou em meio às restrições de mobilidade, levando suas ações na Bolsa a acumularem um rendimento de 75% no ano, e seu valor de mercado subir a 1,6 trilhão de dólares. Segundo os resultados da medição daBloomberg, Bezos, de 56 anos, possui um patrimônio de 193,7 bilhões de dólares ― um trilhão de reais. Sua fortuna teve um crescimento de 78,9 bilhões (68,7%) ao longo dos últimos doze meses.

Atrás do magnata das compras virtuais situa-se Elon Musk, fundador e diretor geral da SpaceX e Tesla, cujo valor em Bolsa atingiu 100 bilhões de dólares em dezembro, permitindo que o empresário de origem sul-africana pudesse se gabar de um patrimônio de 160,7 bilhões de dólares. Mas Musk praticamente não tem rivais quando se trata de avaliar a lucratividade de 2020 para suas finanças pessoais: 133 bilhões de dólares (a soma mais alta de toda a lista), o que representa um aumento de 482% na sua fortuna. Entra assim na lista dos 20 mais ricos, onde não figurava no ano passado, já diretamente na segunda posição.

(…)

Via El País

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *