João Daniel leva seu apoio à greve dos trabalhadores dos Correios

Foto: Divulgação

Na manhã desta quinta-feira, dia 27, o deputado federal João Daniel (PT) realizou uma visita aos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em Sergipe, que estão em greve desde o último dia 18, para tratar sobre a situação e dar seu apoio às reivindicações da categoria. Ele foi recebido pelo secretário-geral do Sindicato, Jean Marcel, e o dirigente Diego Ramos, que informaram os motivos da greve e como está o movimento no estado.

Durante o encontro, eles informaram ao parlamentar que a empresa quer retirar 70 cláusulas do acordo coletivo, além de vários ataques que os trabalhadores vêm sofrendo. Jean Marcel explicou que a categoria tinha um acordo coletivo com 80 cláusulas e agora a empresa está apresentando apenas nove, sendo que nenhuma delas sendo clara quando a sua efetivação. “Eles sempre colocam ‘a empresa poderá’ fazer isso ou aquilo. Se ela conseguir colocar esse acordo, a gente sabe que eles vão usar qualquer desculpa para não cumprir. Aí não tem nenhuma cláusula lá, só o que restou da CLT que foi reformada”, disse o dirigente sindical.

Entre as cláusulas retiradas, uma referente auxílio que era recebido pelos funcionários que têm filhos com deficiência (aqui em Sergipe são cerca de 15), que servia para cobrir despesas no tratamento não cobertas pelo plano de saúde e foi retirado

Outra ameaça citada por eles foi o lançamento de contracheques com muita antecedência – coisa que eles disseram que nunca viram -, como forma de forçar os trabalhadores a voltarem ao trabalho. Acrescentaram que antes mesmo de ser julgado o dissídio coletivo já saiu um contracheque descontando os dias de greve. “A intenção é desmobilizar a greve que está muito forte. Em Idaiatuba (SP), maior centro logístico dos Correios, vimos imagem com 600 carretas paradas. Então o TST pode, sim, chamar os Correios à responsabilidade já na semana que vem. Estamos tranquilos e o trabalhador sabe como são essas ameaças”, disse Jean Marcel.

A greve está ocorrendo em todos os estados do país. A informação é que em Sergipe o movimento também atinge todo estado, com boa mobilização. A empresa possui em todo Brasil cerca de 98 mil trabalhadores, quando já chegou a ter 130 mil. Em Sergipe, o número não chega a 700, que trabalham nas agências em todos os municípios sergipanos, totalizando quase 90. A greve em Sergipe iniciou no último dia 18 e atualmente só 30% do efetivo está trabalhado.

Apoio

O deputado João Daniel declarou seu apoio às reivindicações da categoria, que considera justas. Ele se comprometeu em levar a situação para se tratada pela Câmara e denunciar o caso na sessão do Parlamento. Segundo ele, não se justifica que a empresa retire direitos dos trabalhadores, quando não é uma empresa que está quebrada, pelo contrário, vem dando lucro. Jean Marcel acrescentou que esta semana, numa audiência de conciliação no Tribunal Superior do Trabalho, os Correios foram obrigados a afirmar que teve só no período da pandemia R$ 600 milhões de lucro, maior que o de 2019 e 2018.

O sindicalista disse que isso não é justo. Porque em meio a esse lucro 100 trabalhadores já morreram e os demais estão na rua se expondo a todo risco e tendo seus direitos retirados. Para ele, o que está em jogo é um projeto de governo, de Paulo Guedes, para enxugar e demitir os trabalhadores, se possível acabar com todos os direitos, para deixar a estrutura toda montada, sem a função social que os Correios têm, instituição que está em todos os estados e municípios do país. “A gente sabe que quem defende o trabalhador é o PT”, acrescentou Jean Marcel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *